QUEM FOMOS

Espaço Cultural que ficava na praça da República 119 - cruzamento da São Luís com a Ipiranga, em São Paulo, metrô República.

Funcionava de quarta-feira a domingo a partir das 19h (aqui os eventos: 
agenda). Entre abril/2012 e janeiro/2014.

Havia shows de artistas independentes no subsolo no período das 20h até as 23:59h. 

Também discotecagens e outras atividades que às vezes se estendiam para além da meia-noite em qualquer dia da semana.

- Funcionava também como estúdio de ensaio e gravação
.

- De vez em quando tinha transmissão de jogos de futebol.

- E eventualmente, cineclube
. 

Tinha chope Eisenbahn a partir de R$ 3,00!
Tinha jukebox (cada música a R$ 0,50) no mezanino.
Tinha wi-fi liberada.
Aceitávamos cartões de débito e crédito (Visa e Master). 
Tínhamos convênio com o estacionamento Multi-Park, na rua Araújo número 130.


--


--

Quando alguem queria falar com a gente, escrevia para: 


Por que o EC Walden fechou?
Aqui: 
http://ecwalden.blogspot.com.br/2013/12/walden-ciao.html


--

Miss
ão: Fomentar a produção cultural e incentivar a criação artística, através da organização e da execução de projetos independentes ligados a: música, literatura, cinema, artes plásticas, teatro, fotografia, jornalismo, cultura digital, línguas e viagens.

E oferecer produtos e serviços nessas mesmas áreas, proporcionando entretenimento de qualidade.

Trocando em miúdos, podemos dizer que é um abrigo cultural, onde pessoas interessadas em cultura divertem-se e trocam conhecimento.
Esse tal abrigo celebra a diversidade, o humanismo, a cultura-pop, a independência; incentiva os pontos de vista e iniciativas que demonstrem modos de vida simples, olhares sobre o conceito de liberdade, que mostrem que é possível ser feliz vivendo de forma diferente.

Um ponto de encontro, cosmopolita, despojado e instigante, a ser desvendado; na praça da República 119 - cruzamento da São Luís com a Ipiranga, em São Paulo, metrô República.

--


Entre abril/2012 e janeiro/2014, enquanto o Espaço esteve em atividade, mais de 500 bandas já se apresentaram ao público, seja no mezanino ou no subsolo, provenientes de São Paulo, outros estados brasileiros, alem de artistas de outros paises, como Uruguai, Chile, Argentina, EUA, Portugal, Italia, França, Alemanha, Inglaterra, India.

Eis alguns desses artistas:
Dub Cavera, Mister Lúdico, Bumbo Caixa, Zebra Zebra, Parachamas, Semi-Solo, NoctVillains, The Cigarettes, Que Miras Chicón, Horror Deluxe, Single Parents, The Leprechaun, Nessuno & Os Caes de Pavlov, The Concept, Inverness, O Feliz Amor do Felino Ferido, Star 61, Elevadores, Lex Complex, MJP, Chabad, Quick White Fox, Austronauta Pinguim, SEXTIPS, Plazma, Baudelaire, O Grande Ogro, Zanin's Magic Crayon, Twinpine(s), The Tries, The Hitchcocks, Pop Stars Acid Killers, Polite, Lazy Sundays, My New Device, The Cleaners, The Algun Dios, Visitantes, Modulares, Guilherme Granado, Zeca Viana, Set The Settings, Continental Combo, X So Pretty, Technique, Looking For Jenny, RAKTA, Gattopardo, Againe, Strange Music, The Baggios, The Dawnward Path, Objeto Amarelo, Your Favourite Songs, The John Candy, Top Surprise, Loomer, Lê Almeida, Pale Sunday, Wallace Costa, Ringo Deathstarr, La Chatte, Mataram Meu Mestre, Orange Disaster, Glassbox, Blues Drive Monster, Futuro, Bela Infanta, Afro Hooligans, Akin Deckard, Insones, Hidrocor, Dual Tape, Rita Braga, MDM, Os Skywalkers, Fox Hound, Slot, AtalhoS, Dr. Fantástico, A Espiral de Bukowski, A Transgressão, Babe Florida, Cretina, The Luppies, Vermes do Limbo, Yohomama, Pappas Palace, Dino Linardi, Rumbo Reverso, SuperDrive, Infraaudio, The Ticks, Prokrastination Klan, Ricto, Ema Stoned, Doppelgangers!, Coletivo Punho Forte, Well Brown, Herod Layne, Hoping To Collide With, Duelectrum, Lovni, Japanese Bondage, Os Invalvuláveis, Sin Ayuda, Hollowood, Plastic Soup, Lulina, Finho (365), Monocelha, Radioviernes, Impuro, Jóbson Phelps, Tormenta Free, The Alchemists, Jack´s Revenge, Kamenin, Krias de Kafka, Seminal, Segundo Inverno, Belfast, Ecos D'Alma, Fones, Pallets, Videotex, R.O.B.O.T.N.I.C.K., Bangs, Sonora Scotch, Cadaver em Transe, Mescalines Duo, Os Últimos Românticos da Rua Augusta, Morning Side, Stoned, Cartesian Animals, Insurgentes, Três Doses, Maurício Urzua, Felipe Blues, Samba de Dandara, MC Luana Hansen, Azuls, Tabacaria, The Graves, Banda De Bolso, Yokofive, Johnny Walker, Star 61, Radio Attack, A Full Cosmic Sound, As Radioativas, Bandidos da Luz Vermelha, NICE, O Efeito Dissonante, Four, Pollux & Castor, We Are Piano, Mojito Experience, Conte-me Uma Mentira, Pastor Rottweiler, Color For Shane, Monotone Grey, Brix, Medusa, Sinera, Alvocore, Electric Roar, Capim Maluco, MC Indigesto & Trap EFX, Paralyzed Blind Boy, Tormenta Free, Auto, Muerte Lenta, Danilovers, Sanitarium, Restos de Aborto, Polifônicos, Poemas de Maio, Modem, Dom de Oliveira, HEZ, Louye, Bratislava, Valsa Binária, Fanfarra Zapata, Telema, Whyever, The 900, The Menasses, Topsyturvy, Theodoro, Lucas, Elisio, Chacal, Postal, Dowsder, Vozes Incômodas, Domus, We Are Able, Robsongs, The Experience Nebula Room, The Sorry Shop, Asteróides Trio, Detestável, Luta Civil, URRA com Wander Wildner e Jimi Joe, Monza, Bubalina, Combover, Idol Standard, Rei Burdogue, Analisando Sara, Trassas, Máfia Paulista, Kakophilia, Trator Cavera, Ladies & Gentleman, L'Avventura, Pivetes, Hilal Omar Al Jamal, Manoel Cruz Trio, Projeto 23, Luv, Offcore, A Carta, Benjamin, Dharma Samu, Urutu, Pode Pa, Raça, Zerão, Omega Mary, Mandachuva, Senoma, Phillip Nutt, Loop B, Deoders, O Cúmplice, Minguavos, Suburbia Blend, Musicas Intermináveis para Viagem, Meiofree, Monoclub, Societés, Miss Hypnotique, el diAblo es un magnifico, Mary Jane's, Daian Schmitt, Pete Hessel & Screw´d Blues Band, The Krents, Os Degolados e Joe and The Wet Rags, INV, Nebula Dogs, Vapor, Pratelê, Red Bitch Vibration, Peaches and Cream, Red Boots, Farmacopeia, Cerezo, Dr. Fantastico, Os Indolentes, Q.I. A Menos, True Voices, Sweet Suburbia, Carmonitz, Nuvens Invisíveis, Nitrokill, Sioux 66, De Tripas Corazon, National, Pesadelo Vegan, Gorfo, Funeral Service, NEFERTARE, Invalvulaveis, Terno Rei, Ombu, Vermes do Limbo, Sobrevoo, Abacates Valvulados, C!priana, My Name is Mary, Oyster Movement, Visiona, Ligera, Última Dança, Scream For Hope, Calêndula, D Nightmare Dreams, Deserdados, Back in Bones, Lissona, Gilmore Lucassen, Aos Maniacos Simeis, Plastico Tangerina, Trio Campeiro, A Espiral de Bukowski vs Al Jamal, Rota 54, Ferramenta, Cambones, Unidade Armada, Projeto Macabro, Herdeiros do Ódio, Benaria, HIV, Rodrigo Montoya + infinito menos, Lowjazz, Jenni Sex, Deriva, Desvio ou Deturpação, Ordinária Hit, Jesus and the Groupies, Blackneedles, Charme Chulo, Chim e os Doces, PJ, Diabillys, Martin Dosh, Massacre em Alphaville, Dead Vai You, Lados Opostos, P.U.B.I.S., Tourrets, Fernando Seixlack, Plastik Durdens, Coyotes California, Seres Errantes, Trauma, Os Gardenal, Sneeze, Flames, Fynez, Habitos Noturnos, Caio Bosco Cerebral, Marco Nalesso e A Fundação, Habitante, Carrancazu, Cafe Brasilis, Emicaeli, Caimbra, Juan En Las Nubes, Quase Coadjuvante, Lupe de Lupe com Jair Naves, Congo Shock, Ricardo Guimarães, The West Dream, Manuel Falleiros, Duo Mutual, Giallos, Bruxos Modernos, Corações & Mentes, Boca de Lobo, Diego de Moraes, Matilha Rubra, LuvBugs, Ciro Madd, Disordia, Skydown, Deck Rock, Cidadão Plebeu, Olho Quadrado, Britonicos, Andeor, Loyal Gun, Adriano Montevilla, Varal Royal, E a terra nunca me pareceu tão distante, Inspetor Clouseau FX, TIPA, VICTIM!, -notyesus>, Harry, Bright Candles, Wasted Pido, Jazz Beat Committee, Bakteria, James Devil, Rodri, Churrasco Eletrico, Mango Trip, Billys Bastardos, Drunk Demons, Human Trash, In Fuga, Desacato Civil, Blackjaw, Same Flann Choice, Capitao Bourbon, Moscoow, Risco Urbano, Bakteria, Herbert Baioco, Flat Top, Metropolitas, Mango Trip, Loyal Gun, Rob Ashtoffen & Chaiss Blues, The Dust Road, Blues Drive Monster, Coice, Motor Queimado, 2019, Atimus, Shimbaus, La Imigra, Novonada, Lisabi, Ana Blues, Intrinseco, Al Reves, Amphis, Kid Foguete, Zonbizarro, The US, Clube dos Bagres, Catexia, Bloody Mary Una Chica Band, The Burning Valves, ShipShape, The Vallens, Chinese Cookie Poets, Ruqya, Gravidade, Britonicos, Andeor, The Metaluna Mutants, Daniel Beleza & o Grande Estrago, Holliday Nice, Mavericks, Lomba Raivosa, Winteryard, The Great Munzini, Black Needles, Aquiles Guimaraes + Alexandre Torres Porres, The Automatics, Ø+yn, Checkpoint Charlie, Sr. B & Dona Vontade, Doctor Mars, Estrebujante.

De quarta a domingo quase sempre tinha show (muitas vezes mais de um por dia!)!

--

Fui para os bosques porque pretendia viver deliberadamente...
(Henry D. Thoreau – Walden; ou, A Vida nos Bosques, 1854)

O nome Walden foi tirado de um livro, publicado em 1854, escrito por Henry David Thoreau, onde ele relata porque e como deixou a civilização e foi viver por dois anos, dois meses e dois dias numa cabana que ele mesmo construiu às margens do lago Walden, nos bosques nos arredores de Concord, Massachussets (EUA), onde hoje se encontra o parque Reserva Estatal da Lagoa Walden. A lógica de Thoreau é baseada em uma compreensão diferente da vida, muito ao contrário do que a maioria das pessoas chamaria de bom senso. Ironicamente, esta lógica é baseada no que a maioria das pessoas diz acreditar. Thoreau, reconhecendo isso, enche Walden com sarcasmo, paradoxos e duplos sentidos. Ele gosta de provocar, desafiar, e até mesmo brincar com seus leitores.

A intenção de Thoreau durante seu tempo em Walden era "fazer um experimento”: escapar do que ele considerava "civilização exagerada", em busca da "alegria selvagem"; ao mesmo tempo passando uma quantidade considerável de seu tempo lendo e escrevendo.
Ele nunca levou a sério a ideia de que poderia realmente isolar-se dos outros. Thoreau usou seu retiro para a floresta como uma forma de enquadrar uma reflexão sobre o que aflige homens e mulheres em sua condição contemporânea e o que pode proporcionar alívio.

Thoreau foi ídolo de figuras do calibre de Leon Tolstoi, Mahatma Ghandi, Martin Luther King Jr., William B. Yeats, entre outros; e influenciou movimentos como a Ecologia e a Desobediência Civil.

--

Só confio nas pessoas loucas, aquelas que são loucas pra viver, para falar, loucas para serem salvas...
(Jack Kerouac – On The Road, 1957)

Mais ou menos um século depois de Walden, Jack Kerouac (influenciado por Jack London, mas também por Thoreau), escreve On The Road, no Brasil publicado com o nome Pé Na Estrada.
Responsável por uma das maiores revoluções do século XX, On The Road escancarou ao mundo o lado divertido da experiência da vida na estrada, da descoberta do mundo através da mobilidade, da eterna busca, da avidez por experiências, a partir das viagens de dois jovens que atravessaram os EUA de costa a costa por três vezes em três anos, além da viagem final, que os levou até a capital mexicana, tudo isso interagindo com pessoas das mais diferentes pelo caminho, e com pouquíssimo dinheiro.
Kerouac foi o principal expoente da chamada geração Beat, que influenciou muitos dos movimentos literários, musicais e cinematográficos que viriam mais tarde; tais como cultura-pop, gonzo, do bebop ao rock - o pop, os hippies, o movimento punk; e tudo o mais que sacudiu a arte e o comportamento da juventude na segunda metade do século XX.
Entre uma discussão existencialista e uma corrida de cavalos, uma iluminação mística e uma bebedeira, surge a geração Beat, na contra-cultura.

Kerouac influenciou gente como Tom Wolfe, Haruki Murakami, Bob Dylan, John Lennon, Tom Waits, Hunter S. Thompson, Jim Morrison, Walter Salles, entre tantos outros.

Um comentário: